Dia 13 de Maio, Dias das Mães. Dia da Lei Áurea

Hoje incrivelmente uni-se duas datas memoráveis, onde a valorização da figura materna transcende e a força especialmente da mulher na luta também pela liberdade do povo negro.

Desde que o mundo é mundo existe a mãe, a mulher que gera, que abriga, que se torna lar de um novo ser por 9 meses ou até antes para os mais rapidinhos rs. Mulheres que ao gerar, ainda que seja só no coração, sentem a dor de amar incondicionalmente o seu fruto, que se doa sem pensar no retorno, que tira forças da última unha do pé pra lutar, proteger e cuidar da sua cria. Mãe, rainha de toda sabedoria, alicerce de uma família. Parabéns pra você.
Fazendo um parelelo com a importância deste dia, retornamos aos tempos da escravidão, onde a mãe já era mãe e mesmo que sem condições, vivendo num exílio, viu seu ventre ser livre em 28 de Setembro de 1971, ainda antes dela mesma ser livre.
Princesa Isabel, após perder alguns filhos, não deixou de ser mãe e com sua inteligência, por questões econômicas e políticas promoveu a assinatura da Lei Áurea em 13 de Maio de 1988 onde tornava livre todo povo negro da escravidão. Teoricamente. Sabemos!

Hoje, os dias são ainda mais duros o que nos faz questionar se realmente estamos libertos da escravidão, da dor da agressão que muitas mães passam em ver seus filhos mortos ou qualquer condição de vulnerabilidade que a sociedade propõe ainda ao povo preto de favela.
Hoje é o dia que não tem cor, não tem dinheiro, não tem diferença de amor. Hoje o dia é da fonte do amor.
Um salve às mulheres, em especial às pretas, guerreiras, lutadoras, polivalentes, independentes e proativas que de desdobram pra não deixar a peteca cair e correr atrás de uma vida melhor para quem saiu livre do seu ventre quando ainda nem era livre. ✊🏾🌷

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: